logotipo /imagens/bandeiras/pt.gif   /imagens/bandeiras/it.gif
   
Slideshow Image 1 Slideshow Image 2 Slideshow Image 3 Slideshow Image 4 Slideshow Image 5 Slideshow Image 6 Slideshow Image 7 Slideshow Image 8
Beata Alexandrina
Mensagem
Mística
Orações
Alexandrina no mundo
Processo | Glorificação

Meditar e Rezar com a Beata Alexandrina

2015-12-06 — MRBeata

2015-12-06

Alexandrina:

«Anseio pela eternidade, porque só lá saberei agradecer a Jesus o ter-me escolhido para viver esta vida de contínuo sacrifício, ansiando só por amar Jesus e salvar as almas. Sei que bem poucas almas me compreenderão, mas uma só coisa me basta: Jesus tudo compreende.»

(Autobiografia)

 

Alexandrina:

«Mas mesmo assim iria a procura de novos mundos, a mendigar amor para amar a Jesus. Ai, meu Paizinho, quanto mais vou, mais quero ir. Parece-me que estou a arder, mas debaixo duma dor que me cobre. O dia de hoje tenho-o passado assim. Queria dizer tanto e acabo por não dizer nada.»

(C.P.M.; 19/12/1939)

2015-11-01 — MRBeata

2015-11-01

Alexandrina: «O dia de Todos os Santos foi muito atribulado para mim: logo pela manhã sentia a impressão de aparecer diante de Nosso Senhor sem nada, de mãos vazias. Fazia-me lembrar um mendigo que não tem uns tristes andrajos para se cobrir: eu também não tinha nada para a minha pobre alma. Parecia-me que não tinha coração para amar a Nosso Senhor e sentia a impressão que mo separavam de mim, mas não sei o que era. Assim passei o dia e parte da noite. Em tudo me parece que não amo a Nosso Senhor. O pouco que rezo é sem nenhum fervor e a rezar e a parecer-me que nada vale.»

(C.P^.M.; 04/11/1935)

 

Alexandrina: «Vivo com o meu Jesus. E Ele disse-me: Vives, vives, meu Amor. A tua vida é Jesus. O teu mundo é Jesus. Tu já não vives no mundo se não para sofreres. Preciso muito dos teus sofrimentos. Em breve viverás no meio dos Meus eleitos.»

(Êxtases; 01/11/1938)

 

Alexandrina «Alexandrina « Dia de Todos-os-Santos. Logo de manhãzinha, ao preparar-me para receber o meu Jesus, encarreguei-os de amarem por mim a Jesus, à Mãezinha e toda a Santíssima Trindade. Duvidosa de ter ofendido O meu Jesus, pedi-Lhe muito perdão de todos os meus pecados e pedi à Mãezinha que lhe pedisse também perdão por mim. Queria fazer uma comunhão muito fervorosa e santa. Veio Jesus, avivou em mim os desejos de mais e mais amor.»

(Sentimentos da Alma; 01/11/1944)

(Sentimentos da Alma; 17/10/1944)

2015-10-04 — MRBeata

2015-10-04

«(Alexandrina) A primeira condição que lhes peço é que procureis viver na maior graça e paz de Jesus, muito resignados e amiguinhos um do outro, desabafando os dois com a máxima franqueza e simplicidade, não ocultando nada um do outro para mais facilmente se ajudarem e darem todos os passos que devem dar.»

(Excerto de uma carta a um casal do Porto; 02/03/1950)

 

 

«(Alexandrina) Procurem depois de Jesus e da Mãezinha amarem-se um ao outro loucamente, verem um no outro essas almas e corações nobres com que o Senhor os dotou; são dons d’Ele, não deixem de lhos agradecer. Sejam amigos, sejam leais em tudo um ao outro, vivam como que sejam um só coração, uma só alma, uma só vida, vida tão pura e tão santa que encante os Anjos e atraia para vocês as bênçãos, os olhares e os auxílios do Senhor.»

(Excerto de uma carta a um casal do Porto; 02/03/1950)

2015-08-30 — MRBeata

2015-08-30

Alexandrina: «Quem me dá Jesus dá-me a vida, dá-me toda a riqueza do Céu e da Terra. Não posso desejar mais do que a Ele. Que ânsias eu tenho de O possuir! Que desejos de O amar! Mas ai, pobre de mim! Tudo desaparece como o fumo sem que eu chegue a ver sinal de alguma coisa. Sofrendo tanto, acabo por não sofrer. Morro por amar a Jesus e acabo por não O amar. Por mais que me esforce não posso acreditar em mim. Ó meu Deus, ó meu Deus, que noite triste!»

(Cartas ao Padre Humberto Pasquale; 21/09/1944)

 

Alexandrina:

«Só por amor me deixei ferir,

Só por amor meu coração sangra,

Só por Ti ,Jesus, a dor tem doçura,

Só na cruz conTigo, se me alegra a alma.»

(Pensamentos Soltos; 01/03/1949)

2015-08-16 — MRBeata

2015-08-16

Jesus: «Não te alimentarás jamais na terra. O teu alimento é a Minha Carne; o teu sangue é o Meu Divino Sangue; a tua vida é a Minha vida, de Mim a recebes, quando te bafejo e acalento, quando uno ao teu o Meu coração. [...] É grande o milagre da tua vida.»

(Sentimentos da Alma; 07/12/1946)

 

Jesus: «Tirei-te o alimento. Fiz, faço-te viver só de Mim. Sabes para quê, Minha filha? Para mais e mais luz. Para mais provar aos Homens o Meu poder, a Minha existência. Ai daqueles que não querem ver. Bem-aventurados os que veem e creem.»

(Sentimentos da Alma; 27/03/1953)

2015-08-15 — MRBeata

2015-08-15

«Meu Paizinho, cumpriram-se as palavras de Nosso Senhor: as horas do dia que passei foram tristíssimas, o coração sempre tristíssimo com os males do mundo e eu sem saber como consolar o meu Jesus. Sinto-me também inconsolável; não parece o dia da Assunção da Mãezinha querida. Como eu queria fazer-Lhe uma festinha! mas pouco ou nada Lhe sei dizer.»

(C.P.M.; 15/08/1939)

 

 «Vai “o amor” continuar no Céu ainda a salvá-las? Jesus tenho-Vos ofendido tanto; concordai comigo que é verdade, Jesus. Jesus tem sido amado pela Sua Alexandrina loucamente? Só tenho as manchas que Jesus tem permitido? Jesus precisava dum véu onde pudesse esconder-se? Está a Virgem Maria, a Mãe celestial louca de amor pela sua filhinha? Alegra-se a Virgem por ver na sua filhinha o pão, alimento de todos os seus filhinhos condenados?

Ó Jesus, não quero que a Mãezinha sofra, não quero que sofra o Vosso Divino Coração! Peço-Vos amor e força para levar a minha cruz. »

(Êxtases, 15/08/1941)

2015-07-26 — MRBeata

2015-07-26

Alexandrina: «Longe do Céu, longe de Jesus está todo aquele que está longe do Sacrário. Eu quero almas, muitas almas verdadeiramente eucarísticas. [...] O Sacrário é a vida, o Sacrário é o amor, o Sacrário é a alegria e a paz. [...] Pobres daqueles que não querem conhecer e amar o Senhor do Sacrário! Pobres daqueles que não querem ver com aquela luz que produz o Sacrário!»

(Sentimentos da Alma; 11/09/1953)

 

Nos êxtases, Alexandrina reproduz em interrogações o que ouve de Jesus:

« (Jesus) Minha filhinha, Minha filhinha, Meu querido amor? A Vossa morada é na Eucaristia? É a morada mais silenciosa que existe no mundo? E tenho tão pouco quem queira viver unidinho a Vós naquele silêncio? Ainda bem que a Vossa Alexandrina está conVosco a amar-Vos, a fazer-Vos companhia, a passar a vida encerrada nos Sacrários? O silêncio é uma grande perfeição e quando é passada em união com Jesus? O que se passa entre a alma e Jesus só o Céu o conhece? Ai se o mundo soubesse?»

(Êxtases; 29/12/1938)

2015-07-19 — MRBeata

2015-07-19

Jesus a Alexandrina:

«Pede-lhe que se convertam, faz que as almas venham a Mim, reúne em Meu Divino Coração as Minhas ovelhas, todo o Meu rebanho. Pede, pede em nome de Jesus. Penitência, oração e sincera reconciliação.»

(Sentimentos da Alma; 23/02/1945)

 

«(Jesus) O Bom Pastor é incansável, o Bom Pastor dá a vida pelas Suas ovelhas? A crucificada de Jesus vai com o seu martírio à procura das extraviadas? Jesus alegra-se e comola-se com as almas que vão elegendo ao Seu Divino Coração?»

(Êxtases; 21/11/1941) 

2015-07-05 — MRBeata

2015-07-05

Alexandrina:

«Para o mundo quero eu morrer, mas quero viver para Vós, meu Jesus, para Vos consolar e amar, para desagravar o Vosso Divino Coração e o da querida Mãezinha. Deixai, meu Jesus, deixai, querida Mãezinha, arrancar dos Vossos Divinos Corações com toda a doçura e amor os espinhos que Vos ferem. Quero o meu coração sempre cercado com Eles, a agonizar de dor e a derramar sangue até à última gota: sofrer eu tudo, Jesus e Maria nada. Quero ser vítima de amor!»

(Cartas ao Padre Mariano Pinho; 19/10/1939)

Alexandrina:

«Contai comigo, meu Jesus: eu estou pronta para sofrer e para amar-Vos. É com a minha dor e com o meu amor que eu Vos hei-de fazer amado. Esquecei os desprezos, as ofensas e o esquecimento de todos. Olhai para mim: lembrai-Vos de que nem um só momento quero deixar de estar imolada para que venha a nós o Vosso Reino e para que todas as almas vão ao encontro ao Vosso Coração Divino, ao Vosso Coração de amor, ao Vosso Coração de Pai.»

(Cartas ao Padre Mariano Pinho; 10/04/1940)

2015-06-21 — MRBeata

2015-06-21

Alexandrina:

«Meu Jesus quero seguir-Vos, à Vossa semelhança quero caminhar.»

(Sentimentos da Alma; 13/09/1945)

 

Alexandrina:

«Só a vontade de Vos seguir, de Vos amar, de Vos imitar, de Vos pertencer, de ser-Vos fiel ate à morte permanece firme, mesmo com a cegueira esconder tudo.»

(Sentimentos da Alma; 03/11/1945)

 

Jesus a Alexandrina:

«Ó Minha amada, Minha querida filha, é este o caminho, segue-Me; é a via dolorosa, é o caminho do Calvário. Fui Eu que te escolhi, é a salvação das almas, é a Minha glória. Coragem, minha amada! Tenho mais consolação e alegria na tua crucifixão do que em todos os sofrimentos e amor das almas do mundo inteiro! Alegra-te, confia! Vais em breve, muito em breve, receber o premio de todos os teus sofrimentos. Tem coragem!»

(Êxtases; 06/03/1942) 

2015-06-07 — MRBeata

2015-06-07

Alexandrina:

«Creio em Deus Pai Todo-poderoso. Meu Deus, sabeis que eu Vos amo, ou melhor, creio em Vós e só Vós sabeis quanto desejo amar-Vos. Deixai-me enlouquecer por Vosso amor e fazei que em tudo morra a minha vontade, o meu querer, o meu eu para Vós e só Vós viverdes, meu Jesus.»

(S.A.; 1946)

 

Alexandrina:

«Ó doce Jesus, ó amor do meu amor, fazei-me forte, imolai-me; fazei-me pura, sacrificai-me. Juntai o meu sangue ao Vosso, Jesus, a minha dor à Vossa dor, o meu amor ao Vosso amor. Em Vós serei forte. Imolai nas Vossas Divinas mãos o mais pequenino cordeiro. Quero dar a minha vida pelo Vosso amor. Quero dar a minha vida para salvar-Vos as almas. Quero morrer para mim, quero morrer para o mundo; quero que em mim só haja a vida do amor. Jesus, quero viver só para salvar-Vos as almas.»

(E.; 1941)

2015-05-10 — MRBeata

2015-05-10

«Creio em Deus Pai Todo-poderoso. Meu Deus, sabeis que eu Vos amo, ou melhor, creio em Vós e só Vós sabeis quanto desejo amar-Vos. Deixai-me enlouquecer por Vosso amor e fazei que em tudo morra a minha vontade, o meu querer, o meu eu para Vós e só Vós viverdes, meu Jesus.»

(S.A.; 1946)

 

Alexandrina:

«Ó doce Jesus, ó amor do meu amor, fazei-me forte, imolai-me; fazei-me pura, sacrificai-me. Juntai o meu sangue ao Vosso, Jesus, a minha dor à Vossa dor, o meu amor ao Vosso amor. Em Vós serei forte. Imolai nas Vossas Divinas mãos o mais pequenino cordeiro. Quero dar a minha vida pelo Vosso amor. Quero dar a minha vida para salvar-Vos as almas. Quero morrer para mim, quero morrer para o mundo; quero que em mim só haja a vida do amor. Jesus, quero viver só para salvar-Vos as almas.»

(E.; 1941)

2015-04-26 — MRBeata

2015-04-26

Jesus a Alexandrina: «Vive do Meu sangue, vive do Meu amor, comunica-lhes esta vida, fala-lhes das Minhas ameaças, das Minhas queixas e do Meu perdão; fala-lhes com a prudência com que lhes tens falado, é a luz do Espírito Santo a iluminar-te, sou Eu a falar pelos teus lábios.»

(S.A.; 1949)

 

Jesus a Alexandrina: «Terás os dons do Espírito Santo, a Sua Luz Divina para nos outros tudo veres e compreenderes, o da fortaleza para tudo suportares e venceres. Coragem nos teus desfalecimentos, coragem até que chegue o Céu.»

(S.A.; 1945)

2015-03-08 — MRBeata

2015-03-08

Alexandrina:

«Então fazei que eu mostre o que sou, que não engano ninguém. Não posso enganar? Em mim é só a pura verdade? Sou o encanto atraente dos Vossos Divinos olhos, a luz das almas mais amortecidas?

Sou a ressurreição dos pecadores? Então posso acudir a todos? Ai de muitos, ai de muitos que se não querem salvar. Jesus, fazei que todos se salvem. Tenho tanta peninha deles, meu Jesus. A mesma sorte podia ter eu, meu Jesus.»

(Êxtases, 11/08/1939)

 

Jesus a Alexandrina:

«A minha paixão, a minha morte não salvou a todas porque não querem salvar-se. A tua paixão, a tua morte dará a vida eterna a todos quantos da minha Pátria quiserem gozar. Tem coragem! Ainda que o mundo tenha que sofrer grandes e graves castigos por não se reconciliar comigo será sempre salvo pelo teu sofrimento. Milhões e milhões de almas subirão por ti ao Céu.»

(Sentimentos da Alma, 29/06/1945) 

2015-03-01 — MRBeata

2015-03-01

Jesus «Minha filha, estrela do mundo, luz que o Ilumina, farol que o guia ao Meu Divino Coração. Escuta, alegria dos Meus olhos divinos aceita os meus divinos braços, abraça com eles a cruz que te dou, abraça-a com as forças divinas, já que as forças humanas não as tens. É cruz de amor para ti. Na tua vida de sofrimento está bem provado o amor com que te amo e o amor com que Me amas a mim. Amo-te, tu amas-Me. És minha, és das almas. A cruz que te dou é a cruz de mais alto valor para elas. Coragem, sempre firme nos braços do teu Jesus. O mundo fere tanto O Meu Divino Coração! Suaviza a minha dor, salva-me os pecadores; compra-os com esta cruz do mais elevado preço.»

(S.A.; 01/12/1945)

Destaques
/imagens/destaques/rsz_anopastoral2016_17.jpg
Agenda
18 de janeiro 2014
Festival de janeiras
05 de janeiro 2015
Epifania do Senhor
7 de janeiro 2018
Epifania do Senhor
12 fevereiro 2017
Celebração do Dia do Doente - Balasar
8 março 2014
Dia da Criança
30 maio 2013
Eucaristia, Adoração e Pregação | 21h00 - 24h00 | Pe. Dário Pedroso
8/9 junho 2013
Sagrado Lausperene
Novo horário das Eucaristias
Celebrações Eucaristicas
Localização

Ver mapa maior
ContactosMoradaHorários

Tel. Igreja: (00351) 252 951 601

Tel. Fundação: (00351) 252 951 264 

Tlm Fundação: (000351) 963 649 183

E-mail: fundacao@alexandrinadebalasar.com

Rua Alexandrina Maria da Costa, 21

4570-017 Balasar PVZ

GPS     41º 24' 17'' N    8º 37' 31'' W

Receção da Igreja:

segunda feira a sábado

09h00-12h30 e 14h00-18h00

domingo

09h00 às 12h45 e 14h30 às 18h00 

                                      

Casa da Alexandrina:

Inverno

09h00-12h00 e 14h00-18h00

Verão

Semana - 09h00 às 12h00 e 14h00 às 19h00

Domingo e Dia Santo - 08h00 às 19h00